15
10/13

Todo mundo que vai tirar o visto americano tem dúvidas sobre o dia da entrevista, mas só o que se vê por aí é um monte de blog falando que você deve levar uns 500 documentos e te colocando medo. Hoje estou aqui para falar como foi a minha ida ao consulado e desmistificar algumas histórias, como a de que você vai ter que acampar na fila como um fã da Beyoncé faria para conseguir ver a diva de perto caso queira ser atendido.

Para começar, se você vai fazer a entrevista em São Paulo e não mora perto da linha amarela do metrô (pobre), é bom que marque antes das 07h ou depois das 10h. Por quê? Porque provavelmente você vai chegar mais rápido aos EUA do que ao consulado, já que o trânsito não colabora. Se você não tem carro (pobre), o melhor é marcar bem cedo pra não pegar o horário de pico e não gastar o preço de um apartamento no Morumbi na corrida de táxi.

Ao chegar lá, há um patrimônio cultural brasileiro: a fila. É rápida, então não se estresse. Você não pode entrar com celular. Eu deixei o meu em casa, mas tem vários guarda-volumes em frente e você pode deixar por lá por módicos R$ 5 ou R$ 10. Nada disso é oficial, então não garanto que ao voltar lá seu smartphone não foi substituído por um Startac.

Estranhamente ao chegar na fila, o pessoal da triagem (que verifica se tá tudo ok com passaporte e a página de confirmação de visto) ficou olhando pra mim e comentando algo. Obviamente me deixaram passar na frente de todos e me deram concederam o Green Card, porém é claro que só deviam estar comentando sobre o meu topete. Peguei mais uma fila (oba!), mas nem vi passar pois levei um livro. No geral, as pessoas não levam nada para ler, o que eu acredito ser burrice, a não ser que você goste de ficar estereotipando quem está na fila e fazer jogos mentais como “esse vai ter o visto negado” e “esse vai ser deportado ao chegar”. Ao chegar na triagem, uma das pessoas que comentou do meu cabelo me chamou e não viu que havia uma senhora antes de mim, por isso fui atendido por outra pessoa e logo jamais saberei sobre o Green Card.

Após a triagem, você vai parar mais uma fila (obrigado, Deus!). Leia o livro que você levou ou continue estereotipando as pessoas. Depois do detector de metais, você vai para um lugar cheio de bancos aguardar alguém chamar seu nome. No meu caso, sempre erram meu sobrenome, não entendo direito e as pessoas ficam repetindo com ódio de mim porque não apareço. Por isso, a dica nesse caso é ter um sobrenome fácil.

Daí, algo inusitado: outra fila! Você espera um pouco para ir até um guichê e ser entrevistado. Essa é a pior parte. As pessoas saiam chorando e gritando. Gente se jogando no chão por terem o visto negado, contudo, não vi nada disso. Acho que todo mundo perto de mim deve ter tido o visto aprovado, pois saiam do guichê com um sorrisinho de canto de boca. Ao lado do meu guichê, estava a banda Capital Inicial tirando o visto. Eu tiraria uma foto pra provar, caso eu pudesse entrar com o meu celular. Não sei se eles conseguiram o visto, mas sei que o Dinho Ouro Preto usa colar de coquinho e eu negaria o visto de qualquer pessoa que usa colar de coquinho.

Na hora da minha entrevista, foi tudo tranquilo. Um senhor me fez perguntas que um senhor que adora puxar assunto na fila de ônibus faria. Perguntou o que eu faço da vida (além de ser lindo), quando eu ia, se eu tinha casa própria e de quem da minha família era a casa. Só isso. Todos os quarenta e sete mil documentos que levei ficaram dentro da pastinha. Saí de lá me sentindo vitorioso por ter sido tão fácil, mas ainda acho que o senhorzinho deve ter ficado entretido com o meu cabelo.

Se você não é procurado da polícia ou se você não é muito bonito (gente bonita deve ir se prostituir lá fora, eu pelo menos pensaria assim), vai dar tudo certo! Boa sorte com o seu visto!

 


2 comentários



  • Rhayanna

    Meu Deus, morri de rir com seu post. Haha, e realmente seu cabelo é admirável. Enfim, tomara que seja fácil assim, porque o meu tá marcado pra daqui uns dias. Tudo de bom. Adorei o blog! <3 Beijos.

  • Jessyca

    Fazer este processo realmente é um pouco chatinho, particularmente
    prefiro contratar um despachante que econimizo tempo e é barato. Pra
    quem precisar de um confiável eu fiz com o pessoal da Now Vistos, só
    digitar la no google. Nem me preocupei, fui pra Disney … meu Deusss que
    lugar lindo!!!


© 2013 brunoernica.com                                                    Ilustração por Zé Mário.                                             Programação por Bárbara.